Doces ou travessuras: os símbolos do Halloween

Tempo de leitura: 2 minutos

As comemorações de Halloween, com festas e crianças fantasiadas batendo na porta dos vizinhos propondo “doces ou travessuras” têm se tornado cada vez mais comuns no Brasil. Esta prática foi popularizada principalmente pelas escolas de idiomas, que há muitos anos celebram o 31 de outubro do jeitinho americano. “Uma das festividades mais aguardadas da cultura norte americana, o Halloween acaba se assemelhando ao Natal em muitos aspectos: a antecipação das crianças, ansiosas pelo grande dia; as decorações em casas e comércio; as comidinhas especiais para a festividade e os preparativos que se iniciam semanas antes para que tudo esteja perfeito”, explica a docente de Idiomas do Senac Santa Cruz do Sul e tradutora de Língua Inglesa, Daniele Horta.

Os Estados Unidos são conhecidos por suas datas especiais e feriados muito bem celebrados. Valentine’s Day, Independence Day, Halloween, Thanksgiving, Christmas. Pode escolher a data, porque eles certamente terão uma comemoração de dar inveja. Datas especiais são um assunto sério para os americanos. Porém, diferente do que todos pensam, o Dia das Bruxas não tem origem norte-americana. “O Halloween tem suas raízes não na cultura americana, mas no Reino Unido. Seu nome deriva de All Hallows’ EveHallow é um termo antigo para santo, e eve é o mesmo que véspera. O termo designava, até o século 16, a noite anterior ao Dia de Todos os Santos, celebrado em 1º de novembro”, afirma. 

Como essa festa chegou até os Estados Unidos? “Durante o período chamado de “Grande Fome”, 1 milhão de pessoas foram forçadas a migrar da Irlanda para os Estados Unidos, levando suas histórias e tradições. Foi nessa época que apareceram as primeiras referências ao Halloween por lá”, explica Daniele. As tradições do Dia das Bruxas nos Estados Unidos uniam brincadeiras comuns no Reino Unido rural com rituais de colheita americanos. “As maçãs viraram cidra, servida junto com rosquinhas, donuts em inglês. O milho entrou com tudo na simbologia da festa norte-americana, espantalhos eram decorações sempre presentes no Dia das Bruxas no início do século 20. Foi do lado de cá do oceano que a abóbora entalhada entrou também no festejo, no Reino Unido era utilizado um tipo de nabo”, complementa a docente.

O famoso “doces e travessuras” também teve origem no Halloween moderno. “Inspirados em uma brincadeira medieval que usavam repolhos para pregar peças, tornou-se um hábito nos Estados Unidos em meados de 1920”. Já a tradição mais popular, que é a de usar fantasias e pregar sustos, não tem relação nenhuma com doces. “A ideia de se fantasiar se tornou popular nos Estados Unidos após a transmissão pelo rádio de Guerra do Mundos, do escritor inglês H.G. Wells, que gerou uma grande confusão quando foi ao ar, em 30 de outubro de 1938”, finaliza a docente. Hoje, o Halloween é o maior feriado não-cristão dos Estados Unidos. Ao longo dos anos, foi “exportado” para outros países, entre eles o Brasil.

Veja também:

O Halloween irlandês: onde tudo começou

Você com a cara do Halloween

Quer receber mais informações do blog? Deixe seu contato!

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos!