Em dúvida sobre o curso de graduação? Essas dicas vão ajudar você

Tempo de leitura: 6 minutos

Qual profissão seguir? Será que serei feliz escolhendo tal área? Essas são perguntas comuns quando chegamos naquela fase da vida que saímos do ensino médio e precisamos escolher uma carreira e qual curso de graduação vamos cursar.

Escolher nem sempre é fácil e ninguém disse que seria, não é? Portanto, é normal se sentir confuso e parecer não se encaixar em nada. Acredite, muitos já estiveram nessa mesma situação. No entanto, todos têm o seu lugar e encontram os seus caminhos – uns mais cedo, outros mais tarde.

Com a chegada das tecnologias, encontrar o curso certo ficou mais fácil. Hoje, na internet, existem ferramentas que podem ajudar os jovens a identificar suas áreas de aptidão e consequentemente auxiliar na busca pela graduação certa. Um exemplo são os testes de carreira on-line, gratuitos e rápidos. Você já pensou no quanto eles podem contribuir para uma procura mais assertiva?

É normal se sentir confuso ou perdido

A verdade é que passamos doze anos estudando na escola e, na maioria dos casos, quando saímos ainda muito jovens, precisamos tomar uma decisão que decidirá o nosso futuro. Escolher a profissão que você deseja desempenhar durante toda a sua vida é uma decisão extremamente importante, que deve ser tomada com calma, cuidado, análise e direcionamento.

Para a psicóloga e professora do curso de Recursos Humanos da Faculdade Senac, Elsa Pilz, os jovens concluintes do ensino médio, em sua maioria, veem-se despreparados para escolher uma profissão e ingressar no mercado de trabalho. Um fator que contribui para isso é o modelo de escola que frequentaram, em sua maioria desconectado da realidade do mundo empresarial do século 21.

Outro fator que contribui para a indecisão é não falar ou conversar pouco sobre a escolha no ambiente familiar. Aliado a isso, está uma pressão da família para que o jovem escolha seguir uma carreira focada em estabilidade ou mais convencional.

Muitos jovens, por conta da pressão e falta de conhecimento do mercado, sentem-se inseguros de fazer escolhas sobre o planejamento da sua própria carreira. A boa notícia é que quem ainda não aprendeu a escolher uma profissão, é possível começar a partir de agora! “É necessário buscar referências, frequentar novos lugares, conhecer pessoas que ajudam a saber onde estão e onde pretendem chegar nos próximos anos e, assim, estabelecer o percurso para atingir seus objetivos”, esclarece a professora Elsa. É preciso estar ciente de que esse percurso (plano de carreira) deve ser constantemente revisado, avaliado e, quando necessário, ajustado para atender às expectativas, tanto em sua carreira, como em sua vida pessoal e financeira.

Mas por onde começar?

Os principais autores na área de Gestão de Pessoas afirmam que a construção de um plano de carreira e sua gestão adequada exige disciplina. A escolha de uma carreira deve ser totalmente alinhada com as suas características pessoais e principalmente com os seus valores de vida. Então, por onde começar?

Antes de tudo, pergunte-se: quero fazer um curso de bacharelado ou tecnólogo?

Ambos são cursos superiores. Os cursos de bacharelado, em geral, têm duração de 4 anos e possuem um currículo mais amplo, com disciplinas teóricas e algumas práticas. Os tecnólogos têm duração de dois anos e meio ou três anos e um currículo mais focado nas necessidades do mercado de trabalho, com mais disciplinas práticas e menos teóricas.

Se ainda assim restarem dúvidas sobre qual tipo de curso fazer, você pode ler sobre eles e as áreas de atuação na internet ou ainda marcar um horário para conversar com um coordenador daqueles cursos que lhe agradaram mais.

Na Faculdade Senac, por exemplo, todas as graduações possuem uma explicação sobre área de atuação, mercado de trabalho e grade curricular presente no site. Além de, é claro, os coordenadores de cursos estarem sempre disponíveis para marcar um horário e conversar com os interessados para tirar suas dúvidas (clique aqui se tiver interesse).

Perguntas que você deve se fazer antes de realizar a sua escolha

Antes de mais nada, é preciso se conhecer, saber o que você deseja para a sua vida, quais suas áreas de aptidão, quanto você quer ganhar, se a aprovação da sua família é importante para você, etc. Essas perguntas são extremamente importantes para que a escolha certa seja tomada. A professora Elsa Pilz listou as mais importantes para você se questionar e refletir:

(1) O quanto você deseja equilibrar a vida profissional e pessoal?

Pesquisas apontam que 56% dos trabalhadores dizem ter dificuldade em equilibrar a vida pessoal e profissional. Quando consideramos as pessoas com 25 anos ou menos, a proporção vai para 82,6%. Saber se determinada profissão necessita de disponibilidade à noite, aos finais de semana ou ainda para viagens é importante na tomada de decisão.

(2) Como é o mercado de trabalho para os profissionais egressos das áreas de seu interesse?

Participe de palestras, lives e cursos livres. Esteja perto da profissão que você está pensando em seguir. Conheça profissionais da área, pois somente quem conhece os desafios e desempenha as atividades pode lhe dar um panorama mais preciso. Você precisa ampliar a sua escuta e estar atento a todas as novidades no seu entorno.

(3) Você quer uma profissão que seja bem remunerada?

É necessário compreender que o seu nível de experiência, o porte da empresa, a localização geográfica e a escassez de mão de obra em determinadas áreas determinam a faixa salarial de uma profissão. Pergunte-se: desejo um salário fixo ou estou disposto a trabalhar por sistemas de comissionamento e ter uma renda variável?

Um caminho para você conhecer a realidade salarial do mercado é consultar guias de remuneração disponibilizados na internet por consultorias especializadas. Além do salário base, você deve considerar os benefícios, o ambiente de trabalho e as oportunidades de crescimento. Pesquisar é a chave nesse processo!

(4) Quer ser empregável e sustentar sua empregabilidade?

Você deve estar ciente que, durante e depois da graduação, precisará manter os esforços e as entregas necessárias para se manter atualizado. Sem atualizar os seus conhecimentos, você estará fadado à estagnação e a sua capacidade de manter a empregabilidade diminuirá consideravelmente.

(5) Não quer desapontar sua família?

Converse com seus familiares expondo suas dúvidas e angústias com relação a escolha de carreira. Mostre que você está buscando informações fidedignas que te auxiliarão na tomada de decisão. Aponte as descobertas quanto às novas profissões e tendências que, por vezes, os familiares desconhecem. Se a opinião deles é importante para você, deixe que participem do processo, assim é possível evitar surpresas negativas futuramente.

(6) As suas características de personalidade influenciam na escolha de carreira?

Sim, e muito! E é por isso que conhecer os seus traços de personalidade ajudará na escolha de carreira de maneira assertiva. A teoria vocacional de Jonh Holland propõe que a satisfação e a propensão em deixar uma posição (cargo) dependem de quanto a personalidade de um indivíduo se ajusta no trabalho. Portanto, identificar as suas aptidões e ir ao encontro a uma profissão que as exija é essencial.

A partir das respostas dessas perguntas, você pode começar a direcionar a sua escolha de acordo com os cursos que tenham maior relação com as suas vontades.

Faça o uso dos testes de carreira

Além de procurar ajuda da maneira tradicional através de uma orientação de carreira com um psicólogo, uma outra opção é realizar um teste de carreira on-line e gratuito na internet. A Faculdade Senac, por exemplo, oferece esta ferramenta para auxiliar os jovens na busca pelo curso certo. Clique aqui e conheça!

Através de questões sobre como as pessoas costumam se sentir, agir em certas situações, do que elas gostam, quais são os seus hobbies, suas vontades, etc, é possível identificar quais profissões mais se encaixam no seu perfil. “A partir do resultado que a ferramenta lhe conceder, você pode comparar o resultado em relação aos cursos de graduação que mais lhe agradam e, assim, vislumbrar uma melhor decisão”, explica a professora Elsa.

E se ainda restarem dúvidas, não se constranja em marcar aquela conversa com o coordenador do curso no qual você está interessado. Afinal, você é o protagonista da sua vida!

Outra vantagem oferecida pelas Faculdades Senac é poder experimentar uma graduação (saiba como clicando aqui), o que é uma ótima oportunidade para os indecisos. Assim, você pode cursar uma graduação durante um mês e se não gostar, recebe todo o dinheiro de volta.

Essa não é uma escolha definitiva

Lembre-se, nada na vida é imutável ou permanente. Se você perceber que fez uma escolha equivocada ou que seu atual curso não lhe agrada, não existe problema nenhum em mudar. Nossos desejos mudam, nossa personalidade muda, nossos objetivos mudam e nossas prioridades mudam. Portanto, é possível que a partir das suas mudanças pessoais ocorra também uma mudança profissional e isso é completamente normal.

Analisar o caminho e a si mesmo é um exercício constante. Seja verdadeiro com você, entenda que mudar também faz parte da sua trajetória e que tudo o que você fez antes serão experiências válidas para a sua nova carreira.

Se for necessário, passe por todo o processo novamente, realize pesquisas, converse com profissionais da área, reflita sobre os seus interesses e utilize os testes de carreira. Você não precisa ficar com a sua primeira escolha para sempre.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos!