Jovem Aprendiz do Senac: saiba tudo sobre o Programa

Tempo de leitura: 6 minutos

Você já deve ter ouvido falar em “Jovem Aprendiz”, “Aprendizagem” ou “Menor Aprendiz”. O Jovem Aprendiz é reconhecido no Brasil por ser a primeira oportunidade para muitos, a porta de entrada para o mercado de trabalho. E, claro, para quem deseja ingressar em um mercado tão concorrido, fica a vontade de não perder essa oportunidade. Se você não sabe nem por onde começar para participar do Programa, este post é ideal para você. Leia até o final e não perca essa chance de mudar a sua vida com o Programa Jovem Aprendiz do Senac.

1) Entenda o passo a passo de ingresso no Programa

O processo de seleção é relativamente simples: para ser um Jovem Aprendiz, o interessado deve enviar seu currículo para uma empresa que tenha oportunidades para aprendizes, assim como ocorre em processos seletivos para estágio ou até mesmo emprego. São as empresas que contratam os aprendizes e os encaminham para o curso de Aprendizagem no Senac, e não ao contrário, como muitos interessados acreditam.

Para que você entenda o porquê: há uma lei no Brasil chamada de Lei da Aprendizagem e, de acordo com ela, todas as empresas de médio e grande porte devem contratar um número de aprendizes equivalente a um mínimo de 5% e um máximo de 15% do seu quadro de funcionários cujas funções exijam formação profissional. Por isso as empresas respondem pelo processo seletivo do estudante.

Mas e eu posso procurar o Senac para buscar uma vaga?

Dúvida Jovem Aprendiz

A resposta é: depende. Algumas escolas do Senac no Rio Grande do Sul orientam alunos interessados no Programa quanto às empresas que buscam aprendizes na cidade. Mas isso varia de cidade para cidade, pois em muitas delas as empresas pedem indicações de alunos ao Senac, enquanto, em outros casos, as próprias empresas buscam aprendizes de outras formas.

Não esqueça: você pode ligar para o Senac da sua cidade e pedir orientação, mas é a empresa que faz o processo seletivo.

2) Para ajudar você ainda mais a entender esse programa, vamos ver alguns mitos e verdades sobre ele:

Como o aprendiz não é como os outros funcionários, não tem carteira assinada.

MITO! A empresa que contrata o aprendiz deve assinar sua carteira. Portanto, o aprendiz tem direito a férias, 13º salário, previdência social, vale-transporte, FGTS, e demais benefícios. Ele também recebe o salário mínimo hora e vale transporte durante a qualificação.

Para ser Jovem Aprendiz, tem limite de idade e é preciso estar na escola.

Em partes é verdade. Para ser Jovem Aprendiz é preciso ter entre 14 e 24 anos incompletos*, estar cursando escola regular ou ter concluído o Ensino Médio e ser contratado por uma empresa como Jovem Aprendiz. Ou seja, há uma limitação de idade sim, mas você pode ser um aprendiz após concluir o Ensino Médio.

*Esses pré-requisitos não se aplicam para pessoas com deficiência, que podem ingressar na Aprendizagem independentemente da idade.

Depois que acabar o curso do Programa de Aprendizagem, posso continuar na empresa.

Depende. O fato de você ser um aprendiz não garante uma contratação após o término do programa pela empresa. Mas sim, muitas empresas promovem os aprendizes a empregados. Isso vai depender de uma série de fatores como a disponibilidade de vagas mas, principalmente, do quanto você foi um profissional dedicado e aproveitou a oportunidade como aprendiz para aprender e contribuir com a empresa. 

Aprendizagem e estágio são a mesma coisa.

Não caia nessa. Ambos têm como objetivo inserir pessoas no mercado de trabalho, mas são propostas diferentes. O Aprendiz tem carteira de trabalho assinada o que garante todos os benefícios, já o estagiário, não tem vínculo empregatício. Fazer um ou outro depende do seu objetivo.

3) Agora que você já sabe tudo sobre o Programa, vamos ver as dicas das docentes que dão aula no curso para aproveitar ao máximo essa oportunidade!

Como eu posso me dar bem em um processo seletivo para Aprendiz

Currículo para entrevista

Se você está pensando em participar de um processo seletivo em alguma empresa, precisa entender que é preciso se preparar. A professora do Senac Comunidade Juliana Alves dá as dicas: “São alguns detalhes fundamentais que garantem um desempenho diferenciado. Primeiro a apresentação pessoal, ou seja, você deve vestir uma roupa condizente com o ambiente profissional. Segundo, autoconfiança, além de, é claro, usar a comunicação a seu favor. Portanto, treine em casa uma pré-apresentação, estude sobre a empresa e arrase!”. Claro, não esqueça também que um currículo bem escrito, sem erros de português, é parte importante do processo.

Quais são as características que as empresas buscam em um Aprendiz

Docente há mais de 12 anos, Mônica Blume Krapp do Senac Santa Rosa resume: “As principais características desejáveis em seus aprendizes são o comprometimento, dedicação e a disposição em aprender constantemente”.

Não se preocupe em ser perfeito, preocupe-se em ser dedicado

A professora Thuani Ceroni Silveira , do Senac Camaquã, resume bem essa ideia: “Não esperamos que os jovens acertem ‘de cara’, que ajam com perfeição. O mais poderoso nesse jogo de erros e acertos é a experiência. Nosso papel é orientar para que os aprendizes nunca percam a oportunidade de serem incríveis. Erros e acertos fazem parte da formação”.

Se você quer ainda arrasar na vaga e garantir continuidade na empresa após o Programa, a docente Mônica também dá as dicas: “Mostre diariamente “a que veio”. Faça a empresa acreditar que realizou a escolha certa. Mostre seu potencial com comprometimento, responsabilidade, trabalho em equipe, ética, empatia, e tenha confiança no desempenho das tarefas mais simples até as mais complicadas. Enfim, busque ajudar a empresa a crescer”.

Aproveite o curso de Aprendizagem e vença as dificuldades, evolua com essa experiência

As docentes Juliana e Mônica apontam que vencer a timidez é uma das maiores dificuldades dos alunos do curso de Aprendizagem. Outra questão apontada por ambas é a dificuldade de se vestir de acordo com o ambiente de trabalho.

“Os aprendizes chegam com dificuldades de comunicação e oratória em público, e por vezes, estão muito viciados em gírias que precisam se desconstruir. Outro ponto é a apresentação pessoal visto que as roupas informais, ideais para usarmos com os amigos, às vezes não são as mais apropriadas para o ambiente profissional onde estamos representando a empresa.”, explica Juliana.

Para vencer essa barreira da timidez, não faltam atividades no Senac: “A prioridade das aulas é fazer o aprendiz se sentir confortável, seguro de seu potencial e ter confiança em si e em nossos docentes. Ele consegue sentir isso desde o momento da recepção até o convívio com os colegas e as dinâmicas de grupo realizadas em sala para uma maior integração e liberdade de expressão”, diz Mônica.

Use a internet e o celular a seu favor e não contra!

Uso do celular por jovens aprendizes

A docente Juliana ainda detalha que a internet é um dos grandes trunfos dos jovens para o mercado de trabalho, uma vez que estar ligado nas tendências e na utilidade das tecnologias é vantajoso e até prepara para as adaptações frente aos desafios do mercado de trabalho. “Ao fazer a entrevista, algumas empresas propõem desafios de vender produtos aos jovens. E muitos desses alunos relatam que se  inspiraram em influencers que conheceram na internet para fazer a dinâmica”, conta Juliana.

No entanto, da mesma forma que a tecnologia auxiliar ela também pode atrapalhar, como o uso do celular. “Apesar de entender que a utilização das tecnologias é algo positivo, o equilíbrio na utilização é fundamental! Durante o trabalho, precisamos de foco e determinação, contudo, é difícil focar para muitos jovens quando o “whatsapp” notifica a todo o momento”.

Para finalizar, enfrente os desafios e busque uma contratação efetiva!

Não há fórmula mágica para conseguir uma vaga de aprendizagem, muito menos para crescer profissionalmente na empresa. Mas os professores ressaltam sempre que é preciso ter dedicação e levar a sério as oportunidades. Afinal, pense: mesmo que você não seja contratado ali, naquela empresa onde está trabalhando, há muitos colegas que estão vendo o seu trabalho e que podem te indicar para outras oportunidades, não é mesmo?. E, acima de tudo, lembre-se que você é um aprendiz e esse é o momento de errar para aprender.

“Alguns aprendizes têm receio de enfrentar os desafios, chegando a fugir das propostas das lideranças e dos docentes do Senac, então, a principal dica que eu dou é: se permita aprender! É possível aprender o tempo todo, seja trabalhando em equipe, seja apresentando um trabalho e até mesmo atendendo um cliente. Quando você se permite aprender, você cresce profissionalmente. Por meio dessas pequenas chances que “portas podem se abrir”, garantindo seu espaço no mercado!”, conclui Juliana.

Partiu encarar esse desafio?

Passo a passo como ser um Jovem Aprendiz.

Veja também:

Networking: confira 10 dicas para potencializar a sua carreira

Dicas para se dar bem na entrevista de emprego

Marketing pessoal: como você se “vende”?

Quer receber mais informações do blog? Deixe seu contato!

Autorizo o Senac a me contatar e realizar o envio de informações.

Conheça a Política de Privacidade do Senac-RS.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos!